segunda-feira, 21 de outubro de 2013

Versos, crônicas e declarações de amor



Olá!

Hoje resolvi publicar um dos meus textos. Pois é, quando a inspiração resolve aparecer aproveito para escrever.

Na verdade, me sentei a frente da tela do computador para buscar inspiração em algo novo, mas não deu muito certo.

Como a semana que passou, foi muuuuito importante e especial pra mim, acho justo publicar uma escrita que tem tudo a ver... o amor . Estou falando dele mesmo. Ao descobrir os lados, frente e verso do amor, escrevi esse texto com muita sensibilidade. 

Espero que sintam...



Versos, crônicas e declarações de amor

"É assim...

O peito se enche de esperança na companhia do mesmo ar que os suspiros se apresentam;
Sensação essa dos sonhos sendo resgatados , da realização de tudo o que foi planejado durante uma vida inteira.
Daí vem os pensamentos, atropelados, aleatórios e os desejos ... tudo ao mesmo tempo!

Calma, tranquilidade e serenidade são escudos para um possível  tropeço, de leve.

Eis então a exposição e a verbalização de tudo a quem pertence.
Ouvindo meu interior, aquela voz dos diálogos ilimitados, ouço atentamente e concordo com tudo o que foi dito e ouvido.

Meus olhos tiveram a companhia das lágrimas, salgadas que há tempos não davam as caras.
Meus suspiros vieram a clamar , confirmando tudo.
Meu sorriso de felicidade, que até então, não a conhecia totalmente.
Minhas expressões, meu comportamento se dirigiam para o lado “bom” da bússola, em direção ao companheirismo, da cumplicidade e do amor.

Percebi a essência e a sublimidade do amor e da felicidade.
A sensibilidade é importante nessas horas, nos faz entender a grandiosidade da reciprocidade nivelada.  

O que chamamos de amor , vai além do que achamos que seja. 
Sofremos por conta de uma sociedade hipócrita e por isso somos “acomodados” com situações confortáveis, nos escondendo de risos sem mostrar os dentes.
A alegria irradia, seja como for o tamanho de sua felicidade e o motivo dela fincar e persistir em sua vida.
Seja feliz e pulverize nos jardins alheios um pouco dessa magia que é transformada pelos sentimentos que vão se florescendo a cada dia , a cada amanhecer, a cada anoitecer, a cada acontecimento, a cada momento".

Dadá Ferreira.